segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

As palavras transferidas. XI - Jogo de sombras

Entre o objeto e o mundo, as palavras transferidas.
Aprendemos a noite em movimentos circulares,
contornadas as coisas e os artefactos. Um copo,
como um globo, sobre a mesa da sala:
o copo remete a sua sombra para a mesa e a mesa para o chão.
Desça o copo até aos pés, para vingar a mesa; como vingaremos o chão?
Nisto, abandone o eixo, escadas abaixo, a porta escancarada
para a noite interminável: como vingaremos a casa escura?
Regresse à sala e enfrente o mundo. Deambule com ele nas mãos
em redor da mesa, levando-o à boca para sorver a noite, o tempo.
Volte a encher o mundo circulante e, consumido por fim, deixe-o cair.
Enquanto varre os destroços, pense como é bela esta nossa rotativa
propensão para o fim de tudo, e chame a isso o sentido da vida.
Para acrescentar-lhe uma perspetiva moral e económica,
opte por vingar-se com representações baratas da esfera
e a cada volta reconheça no verbo partir todos os seus significados.

Sem comentários:

Enviar um comentário