quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

O último Django em Paris

Sobre o Django Libertado: Bom - quem vê sai vingado. Mau - distinguir o justo do injusto assim é fácil. Tarantino sabe que a vingança é a fórmula mas dá-nos sacanas demasiado óbvios para alvejar. O que eu queria mesmo era que ele num filme me fizesse sentir vingado de mim mesmo.
Bendita pornografia.*




* (Sempre poderia experimentar o género, até lhe ficava bem um Django Libertino, um Soconas sem lei ou uma série de Kill Bilhas.) Why not?